Um desafio: cuckold

•janeiro 3, 2010 • Deixe um comentário

Fetiche e fantasia é legal porque pode se pensar além. Porém, para realizar mesmo, tem que atender a questões de saúde e, principalmente, encontrar pessoas legais para isto.

E principalmente no quesito pessoas legais é que eu não realizo muito. Conheço pessoas online, mas que geralmente se passam por gurias, o que não é ruim, porque rolam papos deliciosos. O único problema é ficar na mão, literalmente.

Um desses papos foi com uma gatinha de 19 anos, loirinha, olhos claros, tipo guria do interior. A gente teclava bastante e ela dizia que me amava. Eu não era recíproco porque sei bem dessas coisas online, encontrar, conhecer, são outros grandes passos. De qualquer forma, ela oferecia todo amor e aquele corpo delicioso (era bem gostosa) com uma condição. Ou melhor, um desafio.

O desafio era de ser humilhado por aquela gatinha de uma forma implacável. Ela pediu para eu escolher um amigo e convidar para um jantar na “nossa casa”. Até então ok, o problema é que ela pedia para eu sair de casa com uma desculpa qualquer enquanto ela seduziria o cara. De beijar na boca, bem safada mesmo.

Depois de seduzir, o levaria para o nosso quarto, onde eu poderia retornar e ficar olhando se quisesse (ou aguentasse). E o fetiche não acabava por aí.

Além de trair com um amigo que eu escolhesse, ela daria para o cara sem camisinha e pediria para ele esporrear dentro da bucetinha dela. Ou seja, ela seria a putinha do amigo, um depósito de esperma, a bucetinha inchada de tanta porra dentro. Ela de pernas bem arreganhadas, deitada, com o quadril para cima, tentando não deixar escorrer da bucetinha nenhuma gota de porra, gritaria com o cara para que ele fosse embora porque eu poderia voltar a qualquer momento.

E ainda não é só isso.

O fetiche dela se realizaria por completo quando o seu amor, namoradinho, viesse aos seus pés, ou melhor, ao seu ventre, sentisse o cheiro daquela bucetinha dilatada e molhadinha de tanto levar pica naquela noite recheada de esperma de outro homem.

Ela dizia que gozava só de pensar no seu amor chupando a bucetinha com a porra. Deixando ela limpinha. E para fechar com chave de ouro, depois de chupar toda a bucetinha esporreada, ela gostaria de um beijo de língua apaixonado.

Eu sinto muito tesão por essas coisas, por mulheres decididas e que tenham novas ideias de fetiches e fantasias, que gostem de jogar. Mas isso envolve um contexto maior. Tem namoro, ficar junto de verdade, apresentar para família. É um pouco mais complicado. Mas nada é impossível, senão não teria este blog para expor estas possibilidades.

Espero que tenham gostado, comentem ou mandem e-mail. Beijos.

Um grande prazer: facesitting

•janeiro 2, 2010 • Deixe um comentário

Pessoal, eu já tinha comentado anteriormente que preferia me submeter, embora sinta tesão por diversas formas de prazer, sou bem liberal, então posso assumir outros papeis.

Porém, uma das coisas que mais me excitam em dominação feminina é o face sitting, em inglês, traduzido literalmente sentando na cara.

Este meu fetiche é um ciclo: eu sinto muito tesão fazendo isso, as mulheres sentem muito tesão e, porque as mulheres sentem muito tesão, eu sinto ainda mais vontade de fazer de novo.

Este fetiche acontece da seguinte forma, para quem não sabe: o homem fica deitado, nu, de barriga pra cima e a mulher vem por cima, ficando em pé na altura do rosto do homem. Então ela se agacha, ajoelhando-se sobre os braços do homem (neste caso, a ideia é imobilizar, seja com algemas, com os pés, com cordas, etc.) e então posiciona a sua vulva sobre a boca do homem. Ou seja, sim, o homem está imobilizado e ela vai simplesmente foder a boca dele.

A mulher então, sentada sobre o rosto do homem, fica atritando a bucetinha no rosto, lábios do homem e o obriga a por a lingua para fora para senti-la roçando na sua bucetinha molhada. Aliás, todos os líquidos vaginais que escorrem acabam indo direto para a boca e rosto do homem, e sem contar com a saliva do cara, é bem molhadinho e gostoso de atritar.

Tem alguns momentos que requerem cuidado, caso a mulher se empolgue e tire o ar do cara, mas isso pode ter um sinal combinado entre ambos para que a mulher pare (tudo deve ter combinações preliminares e confiança mútua para se realizar, certo?).

Fora estes detalhes, o face sitting é uma das coisas mais excitantes que o homem pode proporcionar para a mulher: tanto no sentido de entrega quanto no prazer que proporciona.

Adoro as mulheres que gozam de verdade, que ejaculam um líquido. Eu não sou muito de golden shower na boca, mas o gozo da mulher, neste caso, até porque não é urina, me excita muito.

Depois de uma bela gozada sendo chupada, eu adoro penetrar com força, beijando na boca, fazendo a mulher sentir todo o seu gostinho que eu abocanhei.

Mamilos que excitam

•janeiro 2, 2010 • Deixe um comentário

Ao contrário de muitos homens, eu sinto muito tesão nos mamilos. Acho que aprendi a explorar o meu corpo e curtir o tesão que ele pode proporcionar. O mamilo é um deles.

Tudo o que eu vou teclar agora, eu também gostaria que a mulher fizesse em mim, muito vagarosamente e por muito tempo. Fico louco e adoro fazer isto nas mulheres.

Tenho os lábios carnudos, uma língua bem quente e uns dedinhos bem espertos para brincar com um mamilo gostoso. Não, não curto isto com caras, nem imagino fazendo.

Hum, primeiro eu gosto de olhar o mamilo, vê-lo se está arrepiadinho, se está durinho, se é grande, se é pequeno, se é rosadinho, se é marronzinho, se a auréola é grande, se tem bolinhas sobre ele, se não tem.

Então eu gosto de passar a pontinha da língua no mamilo, só encostando devagarzinho, com um pouco de saliva, para sentir o contato, atritar mais gostoso.

Daí essa língua fica mais esperta e fica fazendo movimentos circulares, com a lingua bem molhadinha, sobre o mamilo, em volta da auréola do seio. Neste momento, geralmente o biquinho fica bem durinho.

Quando o mamilo fica durinho, é bom colocar ele entre os lábios, molhados, e sugar de levezinho, olhando nos olhos da mulher sentindo o tesão que proporciona.

As chupadinhas no mamilo variam a intensidade de acordo com o tesão ou as respostas da mulher em gemidos. Se está com muito tesão, vai levar uma mordiscadinha de leve. Se está há muito tempo, eu troco de mamilo. Se está gostando bastante, eu continuo, por um bom tempo, capaz de ficar uns 20 minutos, no mínimo. Sério, sou louco por isto.

Eu também gosto de judiar um pouquinho, para as mulheres gostam. Gosto de morder com um pouco mais de força, apertar com os dedos, até toparia colocar um prendedor ou algum daqueles suportes. Eu toparia que colocassem em mim, também. Acho muito excitante tudo com os mamilos. Roçar os mamilos, beijar, passar a cabecinha do pau, babadinha de semi-gozo e voltar a chupar, hum, tesão.

Me gabo de já ter conseguido fazer mulheres gozarem só tocando nos mamilos e de leve na clitóris, sem penetração. Eu adoro preliminares. E adoro que façam comigo também.

Se alguma mulher tiver fetiche em ser chupada nos mamilos assim ou que goste de ou deseja fazer isto com um homem, entre em contato. Ah, e é claro, se tiver alguma outra coisa que goste de fazer ou que gosta que façam, posta nos comentários. Beijos.

Tesão em ser encoxado

•janeiro 2, 2010 • Deixe um comentário

Vocês viram eu teclando no outro post que adoro encoxar. E grande parte dos fetiches que vocês lerão aqui são com mulheres. Mas esse lance de encoxar eu sinto tanto tesão que tenho esse fetiche de ser encoxado. Eu gosto de ser submisso, mas esta é a única situação em que me submeteria a um cara.

Eu imagino indo encontrar o cara, naturalmente não afeminado, nem nada, em sua casa. Iria negociar algum produto que ele tinha posto à venda e precisava vê-lo.

Entrando na casa, chegaria normalmente. Cumprimentaria na boa, beberia uma água e iria ver os produtos. Podia ser o computador, um som, sei lá, alguma desculpa, um álibi.

Teria combinado previamente de usar cueca boxer, meio solta e calça de moleton, pra ficar melhor de roçar. Então de repente o cara me mostra alguma coisa num lugar meio alto e fica atrás, encostado, devagarzinho, esperando eu me mexer. Daí vai tentar pegar algo lá em cima e esbarra o pau na minha bunda. Fica roçando devagar, esperando uma reação. Mas tudo está combinado e eu sinto tesão em ser submisso neste sentido.

Até seria excitante fazer brincadeiras de revezamento, tipo um tem tantos minutos para roçar o pau na bunda do outro. Daí quando for a vez do outro cara roçar, ele vai com mais vontade e deve roçar mais forte. Mas neste caso eu seria totalmente submisso, só seria encoxado.

Então ficaríamos com as calças, em pé, por um bom tempo se esfregando, daí o cara me colocaria no braço do sofá, quase de quatro, para ficar roçando mais. A calça é o primeiro round, ela logo deve cair para ficar só de cueca, para roçar mais gostoso.

Depois disso, encoxando, muita coisa pode ser feita de cuecas. O cara ficar deitado e o outro vir sentar no colo, esfregando a bunda para frente e para trás e sentindo o pau duro roçando, ficar de ladinho na cama ou no sofá, ficar de bruços, e enquanto mais roça, as cabeças dos paus vão ficando babadinhas com semi-gozo, deixando as cuecas cada vez mais molhadas e aumentando o atrito entre os corpos.

Seria tesão também aquelas briguinhas, de um tentar imobilizar o outro e ficar encoxando enquanto imobiliza.

Também o cara que está sendo encoxado pode atiçar mais ainda: deixando o cara em pé, encostado na parede, vir de quatro esfregando a bunda e o quadril sobre o pau do cara, roçando e atiçando o cara. O cara que vai encoxar também pode pegar por trás, em pé mesmo, e ficar roçando.

O objetivo de tudo isso é que o cara fique que nem um cachorro, grudado nas costas do outro, esfregando sem parar, com força, roçando louco pra gozar. E quando não estiver mais aguentando, tiraríamos as cuecas. Ficaríamos nus.

Daí, a ideia é gozar mesmo, não é mais tanto encoxar para não haver penetração. Neste caso, o cara pode dar umas esfregadas da cabecinha no cuzinho até esporrear. Mas sem penetrar. Ambos esporreiam bastante e eu voltaria com a cueca esporreada, sem tomar banho, só passaria no banheiro para tirar o excesso. Muito tesão.

Se alguém tiver mais ideias, desejos ou vontades em relação a isto, posta nos comentários ou me manda e-mail. Abraços.

Tesão por encoxada

•janeiro 2, 2010 • Deixe um comentário

Hoje vou contar histórias de encoxadas. Eu sinto muito tesão por encoxadas. Eu já encoxei muitas mulheres no ônibus, metrô e baladas por onde ando.

Geralmente, vestia uma cueca samba canção, daquelas bem soltas, para deixar o pau bem solto. Às vezes, se a mulher ia deixando, eu colocava o pau duro, reto, e ficava cutucando a cabecinha bem no meio das nádegas, um tesão.

Tinha mulher que rebolava com tesão, que aproveitava cada freiada do ônibus para cair para trás e sentir o pau todo entre as nádegas, no meio do cuzinho. Claro que tinham as que faziam cara feia, mas essas a gente deixa pra lá.

Um dia tava no ônibus, indo para faculdade, tinha uma guria com 1,63, assim, bem gostosinha, devia ter uns 19, 20 anos, com aquelas calças tipo suplex, coladas numa bundinha redondinha, meio grande para seu tamanho e totalmente apetitosa.

Eu colei atrás dela e fiquei encostando o pau sobre a nádega, o pau ainda sem muita expectativa do que estava por vir, o ônibus não estava tão lotado.

Mas depois de umas freiadas estávamos colados e, quando me dei por conta, tinha perdido praticamente o racional, estávamos grudados, eu segurando as duas mãos ali nas barras do ônibus e a menina apoiada no banco, com a bunda empinadinha para trás, colados. Pareciam dois namorados que não aguentavam esperar chegar em casa para dar aquela trepada homérica, sabe?

Ficamos grudados, colados, nos esfregando feito dois animais até que eu fiquei com as pernas bambas de tanto tesão e gozei. Gozei ali mesmo, colado nela, grudados. Gozei na minha cueca, ficou tudo grudado, só quando cheguei na faculdade que eu tentei limpar, mas não adiantava, agora só lavando. Fiquei com aquele cheiro de porra impregnado durante o dia todo.

Eu desci na minha parada e não mais a vi.

Mas essa foi uma das muitas vezes, embora eu ainda sinta muita vontade de encoxar bem gostoso uma bunda grande e safada. Adoro bunda de gatinha, durinha, empinadinha, mas também adoro uma bunda grande, com celulite, que fica balançando enquanto penetro de quatro e me dá muito tesão.

Para quem ficou curioso, eu tenho 1.77m, 81 kg, olhos castanhos, moreno claro, faço exercícios frequentemente. E tenho o pau de 17x6cm, grossinho, gostoso.

Oitudobem?

•janeiro 2, 2010 • Deixe um comentário

Este é o meu primeiro post.

Eu sou um cara de Porto Alegre que gosta muito de fetiches e fantasias.

Nem tudo que escreverei neste espaço eu fiz, pretendo fazer ou farei, mas dá tesão imaginar, pensar.

E é por isso que eu quero compartilhar com vocês e criar um espaço de troca de ideias, vontades e até de realização de desejos.

Um beijo para as mulheres, um abraço para os homens.

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.